1.6.05

Mercado de Trabalho


Vivemos hoje um paradoxo em relação às dificuldades em arrumar uma colocação, um emprego no mercado de trabalho.
Parece estranho diante de tanta crise e de tantos a precisar de uma oportunidade.
De um lado temos uma gama imensa de profissionais qualificados em busca de oportunidades de emprego e do outro lado temos empresas que não conseguem encontrar profissionais adequados às suas oportunidades em aberto.
A que se deve o fato?
Bem, podemos explanar a título de hipóteses alguns motivos plausíveis:

1 – As empresas querem pessoas jovens que venham a desenvolver carreira ao longo dos anos e por isso discriminam profissionais mais maduros;
2 – As potencialidades dos profissionais que oferecem seus serviços não é suficiente ao que as empresas estão buscando para ocuparem os seus cargos;
3 – Existe uma demanda volumosa de profissionais que são super qualificados em busca de oportunidades de menor nível hierárquico, diante da falta de empregos e as empresas por sua vez não aceitam tal oferta, pois ao longo dos dias, o profissional vai estar desmotivado, realizando uma atividade aquém a sua competência;
4 – Muitos não tem o tempo de experiência exigida nos perfis profissionais ofertados e por isso não são nem convocados;

Enfim, estes são apenas alguns exemplos pelos quais percebemos esse gap entre empregos e profissionais desempregados.

E está formulada a pergunta: O que fazer para dirimir esse gap?

Falando dos profissionais que não conseguem se recolocar no mercado, sejam eles experientes ou não, jovens ou maduros, é necessário orientação em relação à carreira. Direcionamento preciso sobre o que se quer desenvolver como bom profissional, onde aplicar suas competências, antes ainda, descobri-las.

Falando das empresas que buscam seus profissionais, é de fundamental importância uma maior atenção na elaboração do perfil da vaga. O que na realidade é de importância suma para o desempenho da função? Quais competências são necessárias para o crescimento do profissional na oportunidade e para que ele vá mais além do que a simples execução de suas atividades diárias? Qual o perfil profissional que a empresa entende que serve para tal cargo?

São inúmeros os erros que vemos no mercado no que se referem a processos seletivos mal conduzidos, desatenção aos profissionais que se candidatam a processos de seleção tortuosos e tensos bem como é incrível a falta de orientação e elaboração dos perfis adequados a cada cargo ou função a ser recrutado e selecionado.

Tudo não passa de um grande processo de falta de COMUNICAÇÃO, tempo para OUVIR o que o outro tem a falar e de melhor ANÁLISE do que se pretende.

“Quem não se comunica se trumbica”
Andréa Aragão

3 comentários:

Dadá Malheiros disse...

Dá-lhe Andrea! Profissional é Profissional. Dadá Malheiros

Anay disse...

Deinha, esse teu blog era a resposta pra TODAS as minahs inseguranças na área profissional. Vc é DEMAIS!!!
Beijosssssssssssss

pcursino disse...

Dreu, este foi o ponto de partida para uma grande virada prifissional sua. Parabens. Grande Beijo